MIOMAS E ACUPUNTURA

imagem de Dr. José Roberto Tavares Lima - biomédico acupunturista

Dr. José Roberto Tavares Lima - biomédico acupunturista

Santos, SP Nível 3
1 fã 731 pontos 218767 visitas recebidas
"Com bastante frequência tenho sido procurado em meu consultório, por mulheres com miomas uterinos, que padecem com o aumento do volume menstrual, dores abdominais, anemias causadas pelo excesso de sangramento e sangramento fora do período menstrual e uma quantidade enorme de sintomas regidos pela presença dos miomas. Aproveito este momento para esclarecer e orientar as mulheres, que elejam o médico ginecologista da sua confiança e NUNCA DEIXEM DE FAZER TODOS OS EXAMES ginecológicos protocolares: ultrassom de mamas e pélvico (via abdominal ou transvaginal), mamografia, colposcopia e Papanicolau, bem como os exames auxiliares de sangue para determinação de hormônios. É desta forma que você conseguirá manter uma saúde perfeita e evitar transtornos futuros, agindo sempre de maneira preventiva, pois com diagnósticos precoces o tratamento será sempre eficaz. NÃO DEIXE DE CONSULTAR SEU MÉDICO E FAZER SEUS EXAMES GINECOLÓGICOS DE ROTINA" - Dr. José Roberto Tavares Lima

Para que você entenda mais sobre miomas, farei uma rápida e simples descrição:

DEFINIÇÃO
Miomas são os tumores benignos (não cancerosos) mais comuns do trato genital feminino. Eles também são conhecidos como fibromas, fibromiomas ou leiomiomas. Desenvolvem-se na parede muscular do útero. Embora nem sempre causem sintomas, seu tamanho e localização podem causar problemas em algumas mulheres, como por exemplo, sangramento ginecológico importante e dor em baixo ventre.
As causas exatas do aparecimento dos miomas não são bem estabelecidas, mas os pesquisadores acreditam que haja tanto uma predisposição genética quanto uma maior sensibilidade à estimulação hormonal (principalmente estrogênio) nas mulheres que apresentam miomas. Algumas mulheres que podem ter esta predisposição, desenvolvem fatores que permitem que estes cresçam sob a influência dos hormônios femininos. Isto explicaria porque certos grupos étnicos e familiares são mais propensos a ter miomas.
Os miomas variam muito em tamanho. Em alguns casos eles podem causar um crescimento acentuado do útero, simulando uma gravidez de até 5 ou 6 meses. Na maioria dos casos os miomas são múltiplos.

Os miomas podem se localizar em diversas partes do útero. Existem, basicamente, 4 tipos de mioma:

1- Subserosos: aparecem e se desenvolvem abaixo da camada (serosa) externa do útero e se expandem através desta, dando ao útero uma aparência nodular. Tipicamente não afetam o fluxo menstrual, mas podem causar dores em baixo ventre, na região lombar e sensação de pressão no abdômen. Este mioma pode desenvolver uma haste ou pedículo, tornando-o difícil de distinguir de um tumor ovariano na ultra-sonografia.
2-Intramurais: se desenvolvem na parede do útero e se expandem para dentro, aumentando o tamanho do útero. É o tipo mais comum de mioma. Podem causar sangramento menstrual intenso e dores no baixo ventre e na região lombar e/ou sensação de pressão generalizada em baixo ventre, de que muitas mulheres se queixam.
3-Submucosos: estão justamente abaixo do revestimento interno do útero (endométrio). É o tipo menos comum de mioma mas o que pode causar mais problemas. Mesmo um pequeno mioma submucoso pode causar sangramento ginecológico maciço.
4-Pediculados: são os miomas que inicialmente crescem como subserosos e se destacam parcialmente do útero, ficando a ele ligado apenas por uma pequena porção de tecido chamada pedículo. Podem ser confundidos na ultra-sonografia com tumores ovarianos.


QUAIS SÃO OS SINTOMAS MAIS COMUNS?
A maioria dos miomas não causam sintomas – apenas 10 à 20% das mulheres que têm miomas necessitarão de tratamento. Dependendo de sua localização, tamanho e quantidade, a mulher pode apresentar os seguintes sintomas:
· Períodos menstruais prolongados e com fluxo aumentado, sangramento fora de época, algumas vezes com coágulos, podendo levar à anemia. Este é o sintoma mais freqüentemente associado aos miomas.
· Aumento de intensidade das cólicas menstruais.
· Dor em baixo ventre, ou mais precisamente, sensação de pressão ou desconforto causado pelo tamanho e peso dos miomas que pressionam as estruturas adjacentes.
· Dor na região lombar, flanco ou pernas (os miomas podem pressionar os nervos que inervam o baixo ventre e as pernas).
· Dor durante o ato sexual.
· Pressão no sistema urinário, o que tipicamente resulta no aumento da freqüência da micção, principalmente à noite.
· Pressão no intestino grosso, levando à prisão de ventre e retenção de gases.
· Aumento do volume abdominal que pode ser mal interpretado como ganho progressivo de peso.
Se você tem algum destes sintomas, procure seu médico.

 
TRATAMENTO
O tratamento dos miomas deve ser feito sempre por médico ginecologista, pois ele acompanhará o surgimento de novos miomas, crescimento dos miomas já existentes, sangramentos fora do período menstrual, etc.
Na especialidade de acupuntura, o efeito das agulhas é comprovadamente eficaz para diminuir sangramentos, evitar sangramentos fora do período, diminuir as cólicas menstruais, diminuir as dores abdominais decorrentes dos miomas, controlar retenção de líquidos próprio do período menstrual, diminuir TPM e como já é sabido e comprovado que a inserção de agulhas em pontos específicos controla a produção e liberação de alguns hormônios, também auxilia na diminuição dos miomas.
Para as mulheres que optam pelo tratamento com acupuntura, oriento para que JAMAIS DEIXEM DE FAZER SEUS EXAMES GINECOLÓGICOS DE ROTINA COM O MÉDICO DE SUA CONFIANÇA e que também não abandonem tratamentos. A acupuntura somará ao tratamento convencional. É importante também salientar que, por falta de legislação adequada, hoje não é necessário que o acupunturista tenha formação na área da saúde. Não acho que este seja o momento oportuno para eu manifestar minha opinião sobre o assunto, pois é longo e polêmico, mas creio que algumas patologias não devem ser tratadas por acupunturistas que não sejam da área da saúde: médicos, biomédicos, fisioterapêutas, etc.
Em meu consultório proponho o tratamento com agulhas, LASER nos acupontos (pontos de acupuntura), esferas magnetizadas, mas sempre acompanhado pelos exames ginecológicos de rotina, pedidos pelo ginecologista da paciente. Um forte abraço. Dr. José Roberto Tavares Lima.
Sem votos