Glutamato Monossódico e a Nutrição


 

"O glutamato monossódico, também, conhecido por E-621 é um aminoácido comum, encontrado em abundância na natureza. É um componente natural em praticamente todos os alimentos que contêm proteínas, como carnes, peixes, leite (inclusive leite humano) e muitos vegetais. O glutamato também é produzido pelo corpo humano e é um elo essencial no metabolismo. Quando o glutamato é acrescentado aos alimentos, várias características específicas de sabor são potencializadas, tais como: impacto inicial, consistência, harmonia, sensação bucal e complexidade. A recente descoberta de um receptor de sabor na língua para o glutamato confirmou que o sabor do glutamato, "umami", é o quinto sabor básico junto com doce, salgado, azedo e amargo.
Uma das funções principais dos aminoácidos no corpo é servir como unidade constituinte das proteínas. Todavia, aminoácidos também são os precursores de muitas substâncias fisiológicas e uma fonte de energia. O intestino é um órgão extremamente ativo, produzindo uma grande quantidade de muco, e suas células têm uma alta taxa de crescimento. Sua taxa de síntese de proteínas é, de aproximadamente, 4 a 5 vezes da média do peso do organismo. Sendo assim, o intestino necessita e consome energia a uma taxa considerável. Foi demonstrado que o glutamato proveniente do alimento é a principal fonte de energia para o intestino. Estudos utilizando isótopos estáveis demonstraram que o intestino obtém a maior parte de sua energia a partir do metabolismo de aminoácidos. De fato, o intestino tem um apetite voraz pelo glutamato, e tem sido verificado que de todo o glutamato ingerido através dos alimentos, apenas 4% é absorvido pelo organismo. O resto do organismo precisa sintetizar praticamente todo o glutamato de que necessita. Isto se aplica especialmente para o cérebro, onde o glutamato é usado como um neurotransmissor. A barreira hematoencefálica que controla o tipo de moléculas que entram no cérebro, não permite a passagem do glutamato, assim o cérebro precisa produzir seu próprio glutamato a partir da glicose e outros aminoácidos"....Leia mais em Glutamato e Nutrição
Controvérsias sobre o uso do glutamato monossódico (GMS) na alimentação
Síndrome do restaurante chinês
Conhecido também como sintoma do glutamato monosódico, é uma colecção de sintomas que podem incluir dor de cabeça (migraña), rubor, suor e sensação de pressão na boca ou cara. Tem-se a crença infundada de que o aditivo glutamato monosódico (MSG) é a causa, mas estudos científicos não têm dado suficientes garantias de que seja a origem. A síndrome possui este nome por ser um aditivo saborizante empregado frequentemente no restaurantes chineses. Na maioria dos casos os sintomas não são graves e se podem aminorar com a ingesta de Vitamina B6 dantes de ser exposto ao glutamato. Wikilinque
Potencializador da fome
Como aditivo potencializador do sabor, o glutamato monosódico é muito utilizado nos restaurantes e também adicionado a uma infinidade de alimentos embutidos ou preparados, como as salsichas, as batatas fritas, e os demais salgadinhos que as crianças consomem diária e profusamente. Na embalagem, em geral, pode figurar que o produto contém E-621, porém, em geral, não se especifica a quantidade. 
O investigador Jesus Fernandez-Tresguerres recorda que o E-621 é considerado pelas agências alimentárias de todo mundo como um “aditivo não problemático e inócuo, para cujo uso não há limites de idade”. Organismos como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização sobre a Alimentação e Agricultura (FAO), a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA e a Agência Européia do Medicamento declararam que o uso deste aditivo não é perigoso. Portanto, não existem quantidades autorizadas nem limites impostos a este flavorizante, que inclusive chega a substituir o sal por um agradável sabor e incrementar o paladar dos pratos e alimentos preparados.
Porém seu uso crescente em alimentos embutidos poderá ter efeitos graves indiretos sobre a tendência a obesidade ao aumentar a sensação de fome e, a partir de certas quantidades, também poderá ter efeitos tóxicos sobre o organismo do consumidor.
Com os diferentes estudos observacionais em ratos, o investigador chegou a conclusão de que o aditivo modifica o padrão de conduta do apetite e da saciedade. Os mesmos estudos concluíram que existem diferentes padrões de neurotoxicidade promovidos pelo E-621, e que estes são diretamente proporcionais à imaturidade e vulnerabilidade do animal estudado. Esta neurotoxicidade destrói partes do cérebro envolvidas no controlo do apetite e, além disto, diminui a produção do hormônio/hormonas de crescimento, responsável pela existência de mais músculos e menos graxa. E-621
Muitos outros efeitos adversos tem sido relacionados ao consumo regular de GMS, incluindo:
* Obesidade
* Danos oculares
* Cefaleia (dor de cabeça)
* Fadiga e Desorientação
* Depressão
* Perda de sensibilidade sensibilidade
* Sensação de queimadura
* Formigamento
* Pressão facial ou sensação de sufocamento
* Dor no peito ou dificuldade respiratória
* Cefaleia
* Náusea
* Palpitação cardíaca
* Sonolência
* Fraqueza
Fonte: IGIS
Glutamato Monossódico

GMS e seus efeitos no organismo

Sem votos