Cisto de ovário

O cisto é equivalente ao uma bolha preenchida de liquido, podendo surgir em qualquer órgão. Os cistos de ovário são muito comuns em mulheres jovens, que ainda menstruam.

Tipos de cistos de ovário:

Cistos funcionais

Também conhecidos como cistos foliculares ou cistos de corpo lúteo, são os mais freqüentes. Formados a partir do funcionamento normal dos ovários, este tipo de cisto desaparece, na maioria das vezes, depois de dois a três meses. Normalmente não é necessário nenhum tipo de tratamento.

Endometriomas

São cistos de ovário que surgem quando o endométrio (camada interna do útero) adere ao ovário. O tratamento, na maioria das vezes, é cirúrgico.

Cistoadenomas

São tumores císticos benignos que se desenvolvem a partir das células que recobrem o ovário. Podem atingir grandes tamanhos e o tratamento é cirúrgico.

Cistos dermóides

Também conhecidos como teratomas, são cistos preenchidos com vários tipos de tecidos do organismo. Podem ocorrer em qualquer idade e, eventualmente, se tornar malignos. O tratamento é a retirada do cisto por cirurgia.

Cistadenocarcinomas

São tumores císticos malignos que também se desenvolvem a partir das células que recobrem os ovários. Muitas vezes apresentam áreas sólidas no seu interior. O tratamento utiliza os mesmos preceitos do câncer de ovário.

Sintomas dos cistos de ovário

Na maioria das vezes, os cistos de ovário não causam qualquer sintoma, mas podem apresentar:

  • Dor na região inferior do abdômen;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Sensação de plenitude no abdômen;
  • Irregularidade menstrual;
  • Dor durante a menstruação.

É importante saber que estes sintomas são raros e não caracterizam a existência de cisto de ovário, sendo, portanto, muito mais freqüentes em outras doenças.

Diagnóstico do cisto de ovário

Como os cistos de ovário não causam sintomas, na maioria das vezes, o diagnóstico é feito por meio do exame ginecológico anual. O médico pode perceber, ao toque vaginal, um aumento de um ou ambos os ovários e solicitar exames complementares para uma melhor avaliação.

A ultra-sonografia transvaginal é um dos principais exames para avaliar as características dos cistos de ovário. Entretanto, a ultra-sonografia não define com certeza se o cisto é benigno ou maligno.
A laparoscopia permite visualizar diretamente o cisto através de pequenas incisões no abdômen e, se necessário, retirá-lo.

A vantagem dela sobre a cirurgia convencional é o menor tempo de recuperação e internação, além de deixar uma pequena cicatriz.

Apesar de todos estes exames ajudarem na avaliação dos cistos ovarianos, o diagnóstico definitivo só pode ser feito através do exame histopatológico, ou seja, pela análise do tecido do cisto após sua retirada.

Tratamento do cisto de ovário

Na maioria das vezes, quando se tem boa certeza que o cisto é funcional, isto é, pequeno e sem áreas sólidas no seu interior, a mulher ficará em observação durante três a seis meses.

O anticoncepcional pode ser indicado como forma de avaliação, pois inibe a formação de novos cistos funcionais ao impedir a ovulação em si. Como esses cistos tendem a regredir em um a três meses, a presença de um cisto ovariano após três meses de uso de anticoncepcional requer, muitas vezes, sua retirada.

Existem algumas situações é necessária a retirada do cisto, pelo risco de malignidade:

  • Cisto de ovário com áreas sólidas no seu interior;
  • Crescimento anormal do cisto;
  • Cisto de ovário em crianças e adolescentes que não menstruaram ainda;
  • Cisto de ovário em mulheres na pós-menopausa.

Sisto, sisto de ovário

 

Sem votos