Esquizofrenia

Esquizofrenia é uma doença que afeta o cérebro nas funções ligadas ao pensamento, emoções, percepções e comportamento.

A palavra esquizofrenia significa mente dividida, sendo criada pelo psiquiatra suíço Eugem Bleuler em 1911.

A esquizofrenia é uma doença que afeta a toda estrutura vivencial do indivíduo.

Em termos sócio-culturais o portador de esquizofrenia representa o estereotipo do "louco", um indivíduo que produz grande estranheza social devido ao seu afastamento da realidade reconhecida pela maioria.

Aproximadamente 1% da população é portadora de esquizofrenia, ou seja, no Brasil há em torno de 1.800.000 pessoas esquizofrênicas.

O início do quadro de esquizofrenia é geralmente em torno dos 20 anos, com outro pico de incidência em torno dos 40 anos.

Não existe diferença entre sexos, raça ou camada social.

A esquizofrenia traz graves prejuízos ao paciente, principalmente sem tratamento.

A esquizofrenia pode manifestar-se na forma de surtos psicóticos: períodos de grande agitação, desorganização do comportamento e geralmente marcados por alucinações auditivas e delírios de perseguição.

Entre os surtos psicóticos pode haver restauração do comportamento normal, mas tendência é deterioração do quadro, evoluindo para isolamento social e perda de contato com a realidade.

Existem diversas tipos de esquizofrenia, cada uma com sintomas e apresentações próprias.

Tipos de esquizofrenia

Apesar desta classificação, é bom destacar que os pacientes esquizofrênicos nem sempre se encaixam perfeitamente numa de estas categorias, podendo haver sobreposição de sintomas no decorrer do tempo.

Esquizofrenia tipo paranóide

Este tipo de esquizofrenia é o mais comum. O paciente com este tipo de esquizofrenia tem sintomas de alucinações e delírios de perseguição.

Este tipo possui melhor resposta ao tratamento e por isto melhor prognóstico.

Esquizofrenia tipo hebefrênica

Neste tipo os pacientes tornam-se “abobados”, desorganizados, apresentando pensamentos sem lógica e com pouco conteúdo.

Esquizofrenia catatônica

É pouco comum. Apresenta como uma grande redução dos movimentos, até imobilidade completa.

Esquizofrenia residual

Este termo é usado para se referir a uma esquizofrenia que já tem muitos anos e com muitas seqüelas.

Esquizofrenia simples

Aparece lentamente, normalmente começa na adolescência com emoções irregulares ou pouco apropriadas, pode ser seguida de um progressivo isolamento social, perda de amigos, poucas relações reais com a família e distanciamento afetivo.
 

Sem votos