Aborto provocado

O aborto provocado pode ser chamado também de aborto causado, voluntário, induzido e interrupção voluntária da gravidez.

Existe uma grande discussão relacionada a tal tipo de aborto. Grande parte desta discussão é por definir quando o feto já pode ser considerado um ser vivo independente.

A discussão relacionada ao aborto provocado é grande, em torno de 34 países o aborto é legalmente aceito, dentre eles estão África do Sul, Áustria, Estados Unidos, Canadá, Dinamarca e França.

Em países como Brasil, México, Chile, Venezuela, Haiti, Irlanda e outros 27, o aborto pode ser  realizado caso haja risco de vida para a mãe.

E países como Argentina, Espanha, Suíça entre outros permitem o aborto provocado com diferentes ros tipos de restrições.

Médicos britânicos dizem que o feto sente dor a partir da décima sétima semana de gestação, por isso estão estudando anestesiar os fetos durante intervenções para interrupção da gravidez.

O aborto pode ocorrer por ingestão de medicamentos e também por métodos mecânicos, muitas vezes com ajudas de médicos.

Os métodos utilizados para o aborto provocado

Sucção ou Aspiração - Realizado pelo médico. Este tipo de aborto provocado pode ser feito até o terceiro mês. Com uma infusão intravenosa insere-se no útero um tubo oco e por meio de uma forte sucção, o embrião ou feto e placenta são aspirados.

Perigo - Sobrar partes do feto no corpo, tendo assim que prolongar a cirurgia e muitas vezes utilizar o método de curetagem.

Dilatação e Curetagem - Realizado pelo médico. Pode ser realizada durante o segundo e terceiro trimestre da gestação, pois o bebê já é grande o suficiente para ser extraído por sucção. A curetagem é feita por uma dilatação uterina e com uma cureta ( instrumento de aço parecido com uma colher ). É feita uma raspagem do revestimento uterino do feto, da placenta e das membranas que envolvem o embrião.

Perigo: Pode ocorrer o perfuramento da parede uterina com sangramento abundante. Pode também ser retirado muito tecido, resultando em esterilidade.

Drogas e Plantas - Tóxicos inorgânicos e chás abortivos são muitas vezes utilizados para a realização do aborto, mas com eficácia extremamente duvidosa. Não é realizado ou recomendo por médicos.

Perigo: É possível que se tenha complicações que levem à morte da gestante.

Sem votos